“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro…” (Is 9.6).

Ele será Maravilhoso Conselheiro que pode ser traduzido como “Excepcional” ou “distinto”.[1]

Os escritores do Antigo Testamento usavam essa expressão para falar dos atos de Deus, que o homem não pode entender.[2] O termo “maravilhoso” (pala’, em hebraico) aparece cerca de 70 vezes no Antigo Testamento. O verbo é encontrado pela primeira vez em Gênesis, quando Deus promete um filho a Abraão, e de repente, Sara começa a rir da promessa de Deus: “Acaso, para o SENHOR há coisa demasiadamente difícil (maravilhoso)? Daqui a um ano, neste mesmo tempo, voltarei a ti, e Sara terá um filho” (Gn 18.14).

Mas o que isso significa? Jesus é aquele cujos planos, objetivos, projetos e decretos para o Seu povo são maravilhosos.

Hoje, as pessoas clamam por orientação e sabedoria. As pessoas buscam orientação para seus problemas através de psicólogos, psiquiatras, analistas e em livros de autoajuda, e muitos, não encontram!

Todavia, quando você lê a Palavra de Deus, o profeta Isaías declara que existe um Conselheiro Maravilhoso, Jesus Cristo, o Filho de Deus. O Conselheiro perfeito. Aquele que conhece tudo, um Conselheiro que realmente conhece todas as coisas. Você não gostaria de ter um conselheiro assim?

Ele sabe tudo sobre você, Ele conhece todas as necessidades do seu coração, Ele sabe como responder a essas necessidades, Ele sabe o que é melhor para você, Ele sabe como resolver os seus problemas. Ele sabe o que você realmente precisa. Além disso, Ele está sempre disponível, Ele nunca abandona você. Ele está o tempo todo disponível para aconselhá-lo em todos os momentos de sua vida.

Que criança é essa? Ele é o Maravilhoso Conselheiro!


[1] Walvoord, J. F., Zuck, R. B., & Dallas Theological Seminary. (1985). The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Is 9.6–7). Wheaton, IL: Victor Books.

[2] O termo “Conselheiro” aparece pela primeira vez em Gênesis. Quando Jetro (sogro de Moisés), vendo o tremendo fardo do genro, diz: “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito” (Êx 18.19). Ele, então, dá ao genro um plano organizacional e aconselha-o a realizar as responsabilidades administrativas de governar e julgar o seu povo. Jetro dá conselhos de sabedoria atingidos por idade e/ou experiência. Gilchrist, P. R. (1999). 887 יָעַץ. In R. L. Harris, G. L. Archer, Jr. & B. K. Waltke (Eds.), Theological Wordbook of the Old Testament (R. L. Harris, G. L. Archer, Jr. & B. K. Waltke, Ed.) (electronic ed.) (390). Chicago: Moody Press.