Por que as pessoas cometem suicídio?

Nunca saberemos com certeza. Por que cristãos professos tiram suas próprias vidas? Não há estudos conclusivos, mas parece que as dificuldades financeiras aparentemente insolúveis, o agravamento dos problemas relacionais e doenças terminais são algumas “razões” para o suicídio. Além disso, Sabemos que Satanás é um assassino e um mentiroso (João 8.44) e fará de tudo para propagar o desespero. Não podemos ignorar suas obras malignas na vida das pessoas.

Por que as pessoas se matam? O suicídio é um dos maiores atos de egoísmo, pois nele o indivíduo atende a seus desejos e ignora os efeitos sobre os outros. A Dr. Eliane Mara estava certa quando declarou: “O suicida não procura a morte, em primeiro lugar, mas o alívio da dor. Os suicidas buscam a morte quando querem na verdade uma vida que faça sentido”(LOPES, Hernandes Dias. Suicídio. São Paulo: Editora Hagnos, 2007, p. 15.).

I. O que a Bíblia diz sobre o suicídio?
Primeiro, a Bíblia nunca lida com o suicídio, per se. Não há nenhum versículo que diz: “Tu não cometerás suicídio”. Nenhum!
Em segundo lugar, a Bíblia, porém, ensina-nos muito sobre a santidade da vida. Somos seres humanos criados à imagem de Deus (Gênesis 1.26-27). Isso nunca pode ser dito sobre qualquer outra criatura. Nem mesmo um peixinho foi criado à imagem e semelhança de Deus.
Em terceiro lugar, a Bíblia nos informa que a própria vida é um dom de Deus. Quando Jó disse: “O SENHOR o deu e o SENHOR o tomou” (Jó 1.21), ele estava reconhecendo a percepção fundamental de que a própria vida vem de Deus como um presente (1Co 6.19-20). Somente Deus dá e somente Ele toma. Ninguém tem o direito de interferir nesse processo. A vida é um dom tão precioso que ninguém tem o direito de acabar com ela caprichosamente ou arbitrariamente.

II. Casos de suicídio na Bíblia
O suicídio é muito raro na Bíblia. Os dois casos de suicídio mais conhecidos são: a morte do rei Saul e a morte de Judas.

A morte de Saul – A história da morte de Saul é contada em 1Samuel 31, onde ele cometeu suicídio no monte Gilboa (1Sm 31.4). Cercado pelo exército filisteu, sem condições de resistir, lançou-se contra sua própria espada, e seu escudeiro fez o mesmo (1Sm 31.4-6). Saul desobedeceu às ordens de Deus sem jamais demonstrar arrependimento genuíno. Saul chegou ao ponto de tornar-se possesso de espírito maligno (1Sm 19.9). Ao invés de se arrepender, ele buscou a orientação de uma feiticeira (1Sm 28). Foi o fim de um longo processo de autodestruição.

A morte de Judas – O outro caso de suicídio mais conhecido na Bíblia é a história de Judas. Depois de ter traído o Senhor Jesus por 30 moedas de prata, Judas, cheio de remorso, “retirou-se e foi enforcar-se” (Mateus 27.5). Apesar de apóstolo de Jesus, era ladrão. Em vez de arrepender-se, saiu para enforcar-se. Judas foi para o inferno, não porque cometeu suicídio, mas porque não acreditava em Jesus Cristo (Mateus 27.5; Atos 1.25; João 6.66-71).

A Bíblia não aprova o suicídio. Apenas Deus dá a vida e somente Ele tem autoridade para tirar a vida. Porém, é um grande engano pensar que aqueles que creem em Deus não tenham seus momentos de desespero, ao ponto de pensar na própria morte. Homens como Moisés, Jó, Elias e Jonas desejaram e pediram para morrer. Ou seja, o suicídio não acontece apenas entre os pagãos, mas também, entre aqueles que professam a fé em Cristo Jesus.

III. O suicídio é um pecado imperdoável?
O que acontece com as pessoas que cometem suicídio? Todo suicida vai para o inferno? Para algumas pessoas o suicídio é um “pecado mortal”, isto é, quando uma pessoa comete suicídio vai para o inferno, porque quando uma pessoa tira a própria vida não pode mais se arrepender do seu ato terrível. O teólogo Tomás de Aquino, no século XIII, escreveu que era o pior de todos os pecados.
Na Idade Média, todo suicida era visto como um discípulo de Judas Iscariotes. Assim, surgiu a ideia de que não há salvação para quem ceifa sua própria vida.

Entretanto, a Bíblia não ensina isso. Na verdade, o que a Palavra de Deus nos ensina é que o sacrifício de Cristo na cruz perdoou todos os nossos pecados: passados, presentes e futuros (Colossenses 2.13-14, Hebreus 10.11-18). Além disso, Somente Deus conhece o coração do homem e somente Ele é o juiz. Somente Deus pode julgar corretamente a nossa vida. Só existe um pecado imperdoável, a blasfêmia contra o Espírito Santo, e esse pecado não é o suicídio (Mt 12.31-32; Mc 3.29-30).

Uma vez que a Bíblia não diz nada sobre o destino eterno de quem tira a própria vida, temos que encontrar a resposta pelo que sabemos sobre o perdão dos pecados e a vida eterna.

O que sabemos é isto:
 Todos os homens são pecadores (Romanos 3.23).
 O pecado leva à morte (Romanos 6.23).
 O sangue de Cristo nos purifica de todo pecado (1João 1.7).
 Aqueles que confiam em Cristo estão completamente perdoados de todos os seus pecados (Efésios 1.7).
 Aqueles que confiam em Cristo para a salvação podem saber que têm vida eterna (1João 5.13).
 Nada pode nos separar do amor de Deus (Romanos 8.38-39).

Em Romanos 8.31-39, Paulo lista todas as coisas possíveis que poderiam nos separar do amor de Deus. Ele enumera uma sucessão de extremos: altura ou profundidade, comprimento ou largura, as coisas presentes ou coisas porvir. Nesse contexto, ele menciona “nem a morte, nem a vida” (v. 38).

“Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida…” (Rm 8.38).
A própria morte não pode conquistar o filho de Deus. A sepultura perdeu sua vitória. A morte nos separa de muitas coisas, de nossos entes queridos, de nossos amigos, de tudo o que fizemos e conquistamos, tudo é tirado de nós na hora da morte, mas a morte não pode separar-nos do amor de Deus em Cristo Jesus. O amor de Deus é mais forte que o poder da morte.

Assim, Romanos 8 responde à pergunta do crente e o suicídio.
 O câncer pode separar-nos do amor de Deus? Não.
 O Alzheimer pode separar-nos do amor de Deus? Não.
 Um acidente súbito pode separar-nos do amor de Deus? Não.
 Um motorista bêbado pode separar-nos do amor de Deus? Não.
 Um tiroteio pode separar-nos do amor de Deus? Não.
 Pode um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral nos separar do amor de Deus? Não.
 Uma infecção estranha pode separar-nos do amor de Deus? Não.

E o suicídio?
Suicídio é pecado? Sim. É errado? Sim. Cometer suicídio quebra o sexto mandamento? Sim. Um crente que comete suicídio vai para o inferno? Não! Porque nem mesmo o suicídio é mais forte do que o amor de Deus. O suicídio é um pecado! O suicídio é um pecado terrivelmente trágico! Mas O suicídio não é um pecado imperdoável.
As pessoas que cometem suicídio vão para o inferno? Sim, mas não por causa do suicídio, mas por causa da vida que levaram. O suicídio não envia as pessoas para o inferno. O pecado envia as pessoas para o inferno, especialmente o maior pecado, o pecado de dizer “Não” a Jesus Cristo.
A questão não é o suicídio. A questão é Jesus. Você confia em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador? Você já nasceu de novo? Essa é a única decisão que determina para onde você vai quando morrer.

Conclusão:
Jesus Cristo é a única solução para as pessoas que pensam em cometer suicídio. A melhor notícia é que Jesus Cristo está vivo hoje. Porque Ele está vivo, temos agora uma razão para viver. Ele é maior do que os nossos problemas. Ele é maior do que a nossa dor. Sua graça é maior do que o sofrimento.
Há um caminho melhor. Existe alguém que realmente se importa com você. Você não está sozinho. Não tome uma decisão permanente para um problema temporário. O suicídio não é a solução. Jesus é a nossa esperança!
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11.28–30).