zangada

“Irai-vos e não pequeis;  não se ponha o sol sobre a vossa ira” (Efésios 4.26).

A ira em si não é pecado, várias passagens do Antigo Testamento falam da justa ira de Deus contra os ímpios e até mesmo contra seu próprio povo quando eles persistem na desobediência. Jesus ficou irado em várias ocasiões (Mt 21.12-13; Mc 3.5).

No entanto, é difícil praticar a ira santa ou justa, pois nossas emoções são distorcidas pelo pecado e não temos a onisciência de Deus, que vê tudo claramente e sabe de tudo o que está para acontecer, devemos ficar irados contra o pecado e não contra os outros.

“não se ponha o sol sobre a vossa ira…”
Paulo diz que devemos lidar com a ira rapidamente, isto é, antes do sol se por. Permitir que a ira invada o nosso coração por um período prolongado é muito perigoso, porque dá lugar ao diabo. A ira leva a malícia e a calúnia, e essas levam a outros pecados destrutivos. A melhor atitude é confessar à ira e extirpá-la o mais rápido possível. E mesmo no caso da ira justa, que nós provavelmente temos muito pouco, os cristãos devem evitar (Tiago 1.19).

“nem deis lugar ao diabo” (v. 27) – A ira injusta abre uma porta para que o inimigo entre e cause um grande estrago! Calvino diz com razão que o versículo 27 deveria fazer o cabelo de nossa cabeça ficar em pé![1] Satanás é um inimigo terrível, que procura destruir e devorar como leão que ruge (1Pe 5.8). Se houvesse um leão solto, ninguém ficaria com as portas da casa abertas. Todavia, a ira pecaminosa deixa a porta entreaberta! Todo cristão deve lidar com a ira biblicamente, caso contrário, será uma presa fácil nas mãos do maligno.



[1] CALVIN. John. Sermons on Ephesians , Banner of Truth, p. 450.