O profeta Jonas descobriu que não havia nada que pudesse fazer para fugir da presença Deus. Ele descobriu que os olhos do Senhor estavam sobre Sua vida até mesmo quando desceu ao porão do navio.

Jonas viveu e ministrou durante a idade de ouro do Reino do Norte. Uma vez que a Síria e a Assíria estavam enfraquecidas, Jeroboão pôde restabelecer as fronteiras de Israel ao norte, até onde chegavam aos dias de Davi e Salomão, e Jonas teve um papel importante nesta recuperação. Em 2Reis 14 está escrito: “Restabeleceu ele os limites de Israel, desde a entrada de Hamate até ao mar da Planície, segundo a palavra do SENHOR, Deus de Israel, a qual falara por intermédio de seu servo Jonas, filho de Amitai, o profeta, o qual era de Gate-Hefer” (2Rs 14.25).

O profeta Jonas, aparentemente, teve um ministério patriótico e popular. Não admira que a ordem divina para ir a Nínive, a capital do império que durante décadas havia aterrorizado o povo de Israel, veio como um choque. O profeta havia atuado como porta-voz de Deus, quando a mensagem era boa para o seu povo.[1] Mas ele não estava disposto a levar uma mensagem a um inimigo do seu país!



[1] Richards, L., & Richards, L. O. (1987). The teacher’s commentary (471). Wheaton, IL: Victor Books.