A função primordial de todo pastor é alimentar o rebanho de Deus. O meio utilizado pelo Altíssimo para tal intento é através da exposição das Sagradas Escrituras (Rm 10.17).

Neste sermão, John Macarthur Jr., um dos maiores expositores da atualidade, relembra a vida do pregador Britânico Charles Haddon Spurgeon, considerado o príncipe dos pregadores, e a perseguição que sofreu por pregar a Palavra de Deus.

John MacArthur Jr, com inteireza relata o pecado das igrejas modernas: “A igreja imita quase todas as modas da sociedade secular. Rock metálico, rap, grafitagem, break, musculação, jazz, coreografia e humorismo, todos foram adicionados ao repertório evangélico… muitos acham que sem alguns chamariscos a mensagem do evangelho não atingirá as pessoas e que, se não nos acomodarmos à moda de nossos dias, não devemos esperar que o evangelho seja eficaz”.[1] MacArthur estava certo, essas atitudes nada mais são do que hedonismo à guisa da religião.

O pastor como arauto, deve proclamar a Palavra de Deus e não suas próprias palavras. A pregação expositiva exige esforço, e os resultados são notórios.


[1] MACARTHUR, John Jr. Nossa Suficiência em Cristo. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 1995, p. 125.