O DEUS INESCAPÁVEL (Sl 139.19-24).

19Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso; apartai-vos, pois, de mim, homens de sangue.
20Eles se rebelam insidiosamente contra ti e como teus inimigos falam malícia.
21Não aborreço eu, Senhor, os que te aborrecem? E não abomino os que contra ti se levantam?
22Aborreço-os com ódio consumado; para mim são inimigos de fato.
23Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos;
24vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.

 

Na véspera do Natal de 1968, os três astronautas da Apollo 8 contornavam o lado escuro da lua e se dirigiam para casa. Enquanto a minúscula cápsula voava pelo espaço, eles viram a tonalidade azul e branca brilhantes da terra lentamente preenchendo sua janela. Nesse momento, o que você acha que esses homens disseram? Eles não citaram Einstein, Shakespeare ou Darwin. Apenas uma coisa poderia capturar a magnificência do momento. Bilhões de pessoas em todo o mundo ouviram a voz do espaço: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. Os astronautas leram Gênesis 1.1 para uma audiência mundial. Naquele momento não havia palavras melhores.[1] Deus é o criador de todas as coisas.

Até aqui, vimos que Deus é Todo-poderoso, Ele não apenas criou o universo, mas também nos criou. O Salmo 139 é um grande hino de louvor por aquilo Deus é. Neste Salmo, Davi declara três qualidades ou atributos de Deus. Davi diz que Deus é onisciente, Ele conhece todas as coisas, cada pensamento e palavra (Sl 139.1-6). Deus é também onipresente, Ele está em todo lugar. Ninguém pode fugir da Sua presença. Além disso, Davi também declara que Deus é onipotente, Ele é capaz de fazer tudo aquilo que desejar. Ele tem todo o poder para concretizar os Seus planos. Ninguém é capaz de detê-lo. A maior manifestação do poder de Deus é a nossa vida. Tudo isso levou Davi a declarar: “Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!” (Sl 139.17).

Agora, na última e quarta estrofe, depois de pensar sobre o conhecimento de Deus, Sua presença e Seu poder, Davi declara que a única maneira de caminhar diante de Deus é em santidade. Davi fala de dois aspectos da santidade que devemos praticar:

A. Santidade significa viver longe dos ímpios (v. 19-22).

 “Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso; apartai-vos, pois, de mim, homens de sangue” (v. 19) – Esse versículo não deve ser entendido como palavras de um guerreiro sanguinário que deseja que todos os inimigos sejam aniquilados, mas as palavras de uma pessoa que sente o peso do seu relacionamento gracioso com Deus e realmente almeja que Deus seja honrado e servido em todos os sentidos.

Davi tem zelo pela santidade de Deus. O que ele está dizendo é que não dá para caminhar em santidade neste mundo e ao mesmo tempo caminhar ao lado daqueles que zombam de Deus. O que Davi está dizendo é que é impossível viver ao lado de homens que escarnecem de Deus.

Mas antes de ficar perplexo com o pedido de Davi, note a descrição dos pecadores nos versículos 19-21?

  • Eles são homens violento (v. 19, NTLH);
  • Eles são homens que falam mal de Deus (v. 20, NTLH);
  • Eles são homens que odeiam a Deus (v. 21, NTLH).

 

Isso significa que Davi não está falando de ateus passivos [pessoas que não vão muito à igreja], pelo contrário, são inimigos declarados contra Deus e o Seu povo.[2] Davi está furioso com esses homens que se dirigem de forma abusiva contra Deus. Então, ele ora efetivamente: “Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso; apartai-vos, pois, de mim, homens de sangue” (v. 19).

As palavras de Davi parecem duras demais, mas o problema é que muitas vezes somos complacentes com o pecado em nossa volta. Aceitamos o pecado dos homens com muita passividade. O silêncio nos condena. A verdade é que precisamos de homens e mulheres que tenham coragem de confrontar o pecado sabiamente em sua volta. Você não pode ser um cristão neutro. Você não pode permanecer calado. Você não pode aplaudir o que Deus reprova. Você não pode gostar do que Deus abomina.

Davi não queria caminhar ao lado daqueles que praticavam ações declaradas contra Deus. Davi não queria que nada colocasse em perigo o seu relacionamento com Deus. Então, ele declara: “Não aborreço eu, SENHOR, os que te aborrecem? E não abomino os que contra ti se levantam?” (v. 21). É interessante que a palavra “abominar” (quwt, em hebraico) pode ser traduzida como “lamentar”.[3] Não é tanto um ódio contra o pecador, mas uma repulsa contra o pecado que eles abraçam, aplaudem e promovem. É como se Davi dissesse: “Eu não suporto o pecado deles, e eu sofro com essa situação”.

É por isso que ele declara: “Aborreço-os com ódio consumado; para mim são inimigos de fato” (v. 22) – Aqueles homens viviam sem qualquer respeito por Deus e sem pensar na eternidade. Viviam de forma egoísta sem levar em conta as consequências de suas falhas.

Conta-se uma antiga história grega, de um jovem espartano que roubou uma raposa, mas depois, inadvertidamente, se deparou com o homem de quem ele havia roubado. Para não ser descoberto, o jovem prendeu a raposa dentro de sua roupa e ficou parado sem mover um músculo se quer, enquanto isso, a raposa assustada arrancava seus órgãos vitais. Mesmo à custa de sua própria morte dolorosa, ele não assumiu o erro.

Os homens tornaram-se insensíveis, tanto para a realidade quanto para as consequências do pecado. Eles estão dispostos a suportar qualquer agonia ao invés de admitir que a maneira como vivem é o caminho da morte.[4]

Entretanto, Davi não está apenas interessado em expor o pecado ao seu redor e lamentar por eles – Davi está mais interessado em sua própria vida e sua pureza diante de Deus. E assim o Salmo termina com uma das orações mais lindas da Bíblia.

B. Santidade significa viver abertamente diante de Deus (v. 23-24).

A santidade de Deus não é apenas uma questão para os inimigos de Deus – é também uma questão permanente para Seus amigos. Nesta oração, Davi pede três coisas para Deus:

 

Em primeiro lugar, Davi pede para Deus sondá-lo: “Sonda-me, ó Deus” (v. 23) – Tendo se deleitado com a onisciência de Deus – não há realmente nenhuma necessidade de tentar esconder algo dEle. Mas Davi não está simplesmente dizendo: “Bem, Deus, uma vez que o Senhor conhece tudo, eu acho que eu vou apresentar a minha vida para inspeção”. Pelo contrário, na verdade, Davi está se submetendo ao exame de Deus, ele está implorando por isso.

A palavra “sonda-me” (chaqar, em hebraico) significa explorar, examinar intimamente, descobrir, cavar profundamente.[5] Mas porque que Davi pede a Deus para examinar a sua vida? Por que ele pede a Deus para perscrutar cada detalhe de sua vida?

Davi pede a Deus para sondá-lo, não porque Deus não soubesse das áreas ou desejos escondidos em seu coração. Não! Davi pede a Deus para “cavar profundamente” a sua alma para que todas as raízes de perversidade viessem à tona para que ele mesmo pudesse tomar conhecimento, tratar e assim, caminhar com o Deus Santo (Sl 19.12). Ele deseja viver de maneira agradável aos olhos de Deus.

Recentemente eu contratei alguém para arrancar alguns tocos de árvore que estavam em frente da minha casa. Quando a pessoa começou a cavar, fiquei impressionado com o tamanho e a quantidade de raízes profundas daqueles tocos. Eu não tinha ideia do que estava escondido. Foi necessário um caminhão muque (uma caminhão com guindaste) para arrancar todas as raízes e concluir o serviço.

Assim como as profundas raízes de uma árvore que são arrancadas, Davi pede a Deus para cavar profundamente e trazer à luz o que estava encoberto. Cada área, cada pensamento, cada desejo impuro e cada pensamento.

Você teria coragem de pedir o mesmo para Deus?

 

Em segundo lugar, Davi pede para Deus prová-lo: “prova-me e conhece os meus pensamentos” (v. 23) – Depois de pedir a Deus para cavar profundamente a sua vida, Davi pede ao Senhor para prová-lo. A palavra “provar” (bachan, em hebraico) significa “fundir, refinar”.[6] Davi pede a Deus para refiná-lo como um metal no fogo.[7] Ele pede a Deus para colocá-lo no fogo (se necessário) para remover as impurezas de sua vida. É algo difícil de pedir para Deus. Porém, Davi jamais convidaria Deus para fazer isso, se não soubesse que Deus o amava.

Existe alguém que conhece mais sobre minhas falhas e meus pecados do que qualquer pessoa no mundo, e ainda, ao mesmo tempo, consegue caminhar ao meu lado. Você pode pensar que conhece minha vida, mas minha esposa conhece boa parte dos meus defeitos, e depois de 9 anos juntos, ela poderia escrever um livro sobre minhas falhas. Espero que ela não faça! E mesmo assim ela ainda me ama. Essa é uma das grandes bênçãos do casamento. Então, eu posso pedir para ela, “querida, olhe para minha vida, veja as minhas falhas, procure por todas elas”. Mas eu jamais teria coragem de pedir a alguém para vasculhar a minha vida se essa pessoa não me amasse.

Davi pede a Deus para provar a sua vida porque ele sabia que Deus o amava incondicionalmente. Deus vê cada detalhe de nossa vida – e ainda nos ama. Ele conhece nossos sucessos e fracassos; Ele conhece nossas forças e fraquezas, mas nunca retém o Seu amor. Quando Ele olha para nossa vida, é o olhar de um pai amoroso e gracioso.

Assim, a honestidade de Davi deve servir de exemplo para nós. Muitas vezes, relutamos em pedir que Deus sondar nosso coração, mas não hesitamos em julgar o coração dos outros.[8] Somente Deus tem essa prerrogativa!

 

Em terceiro lugar, Davi pede para Deus guiá-lo: “… guia-me pelo caminho eterno” (v. 24) – Então, ele termina o Salmo dizendo: “Vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (v. 24) – A Bíblia “A Mensagem” torna o texto ainda mais claro: “Veja por si mesmo se eu fiz alguma coisa errada – em seguida, guia-me no caminho da vida eterna”.[9]

Porém, estudiosos do Antigo Testamento apontam que é possível traduzir esta frase como – “guia-me pelo caminho antigo”; isto é, guia-me pelo caminho que foi revelado em tempos antigos por meio de Moisés.[10] Em outras palavras, Davi está pedindo a Deus para conduzi-lo de acordo com a Sua Palavra. Tal pedido sugere que a vida do céu começa na terra, não no sentido de perfeição, mas no sentido de direção e aspirações.

 

“Ó Senhor, coloque-me sob investigação divina!”

Você já reparou o que acontece quando as manchetes informam sobre alguém ou alguma empresa sob investigação? Vários policiais vão até a sede da empresa ou a casa da pessoa e pegam caixas, computadores, telefones, registros, cadernetas bancárias, e-mails, etc. E o acusado fica torcendo para que a polícia não consiga descobrir nada, ou não olhe na caixa que contém toda a documentação capaz de incriminá-lo.

Porém, essa não é a imagem aqui no Salmo 139. Na verdade, é como se Davi estive com todas as caixas abertas, registros, e-mails dizendo: “Senhor, não se esqueça de olhar isso! Olhe aqui também!” E lembre-se, Davi não está dizendo isso aqui porque está confiante de que Deus não vai encontrar nada. Pelo contrário, ele está dizendo isso porque conhece a Deus e sabe que não pode esconder nada do Altíssimo.

Como está a sua vida? Quando o Senhor olha para sua vida, o que Ele vê? Examine a sua alma. Pare de brincar com o pecado. A única atitude sensata a fazer é orar: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (v. 23-24). Você está disposto a fazer isso, hoje?

 

Conclusão:

O teólogo e reformador francês João Calvino sabiamente escreveu: “É notório que o homem jamais chega ao puro conhecimento de si mesmo até que haja antes contemplado a face de Deus, e da visão dele desça a examinar-se a si próprio”.[11]

Isso é o que Davi está dizendo no Salmo 139: Olhe para Deus: Ele te conhece profundamente; Ele está em todos os lugares; Ele maravilhosamente criou você e soberanamente ordenado os dias de sua vida. Em seguida, examine-se, convidando o holofote da Palavra de Deus em seus pensamentos e sentimentos mais íntimos e renda-se em obediência aos caminhos de Deus. Se você não pode escapar de Deus, você deve se comprometer a caminhar em santidade.

Se você ainda não é um cristão, deixe-me lembrá-lo, novamente, que um dia você terá que comparecer diante de Deus. A Bíblia diz: “E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas” (Hb 4.13).

O que você vai fazer no dia em que todos os seus pecados forem lidos? O dia em que Deus revelará os registros de sua vida pecaminosa, parágrafo por parágrafo e página por página (Ap 20.12; Dn 7.10). “Pare!” Você vai gritar. Mas Deus não vai parar até que cada pensamento impuro, cada palavra frívola, cada mentira, cada negligência forem lidas e justamente punidas. Não espere por esse dia. Jesus morreu para que os pecadores assim como eu e você sejam salvos do julgamento.[12]

Max Lucado, uma vez escreveu: “Deus ama você do jeito que você é, mas ele não quer que você continue assim”.

Você está disposto a fazer a mesma oração de Davi? Que esta seja a nossa oração constante, e que o resultado de nossa caminhada nesta vida seja o lar celestial e as alegrias à mão direita de Deus para todo o sempre!

 

[1] Tan, P. L. (1996). Encyclopedia of 7700 Illustrations: Signs of the Times (p. 1332). Garland, TX: Bible Communications, Inc.

[2] Charles R. Swindoll, Living Beyond the Daily Grind: Book II (Word Publishing, 1988), p. 374

[3] Coppes, L. J. (1999). 1996 קוּט. (R. L. Harris, G. L. Archer Jr., & B. K. Waltke, Orgs.)Theological Wordbook of the Old Testament. Chicago: Moody Press.

[4] MacArthur, J. (1996). Ephesians (170). Chicago: Moody Press.

[5] Strong, J. (2009). A Concise Dictionary of the Words in the Greek Testament and The Hebrew Bible. Bellingham, WA: Logos Bible Software.

[6] Oswalt, J. N. (1999). 230 בָּחַן. (R. L. Harris, G. L. Archer Jr., & B. K. Waltke, Orgs.)Theological Wordbook of the Old Testament. Chicago: Moody Press.

[7] Ross, A. P. (1985). Psalms. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 892–893). Wheaton, IL: Victor Books.

[8] ADEYEMO, Tokunboh (Editor). Comentário Bíblico Africano. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2010, p. 764.

[9] Peterson, E. H. (2005). The Message: the Bible in contemporary language (Sl 139.23–24). Colorado Springs, CO: NavPress.

[10] Macrae, A. A. (1999). 1631 עלם. (R. L. Harris, G. L. Archer Jr., & B. K. Waltke, Orgs.)Theological Wordbook of the Old Testament. Chicago: Moody Press.

[11]CALVINO, João. Institutas da Religião Cristã. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2003, Vl 1, 1:2, p. 48.

[12] Boice, J. M. (2005). Psalms 107–150: An Expositional Commentary (p. 1206). Grand Rapids, MI: Baker Books.